segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Minto até ao dizer que minto

Este lê-se muito rapidamente pois é pequeno. Trata-se de um conto inédito de José Luís Peixoto, lançado exclusivamente para a revista Visão.
Neste conto, José Luís Peixoto usa o  registo do humor e da ironia e, quanto a mim, saiu-se muito bem. A acção decorre em Lisboa, em cenários facilmente identificáveis para quem conhece a cidade sendo que a história ganha sobretudo pelos pormenores bizarros e divertidos que abundam na vida do personagem principal e do seu amigo Mefistófoles perdidos numa Lisboa deserta de lisboetas e repleta de turistas (a acção decorre em Agosto)
O livro lê-se quase sempre com um sorriso nos lábios e tem um fim inesperado e irónico. 

Sem comentários:

Enviar um comentário