sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A viagem do elefante


Não sendo um dos livros de Saramago que mais gosto tive em ler pois "Levantado do Chão", ou o memorial" ou ainda "O Evangelho segundo Jesus Cristo" ou ainda "o ano da morte de Ricardo Reis" encheram-me as medidas, este livro lê-se com facilidade não sendo propriamente um romance... Pelos vistos, terá existido, no século XVI, um paquiderme indiano que caminhou de Lisboa a Viena, ao qual José Saramago chamou Salomão e cuja história conta no livro, "A Viagem do Elefante" e que acaba por constituir uma metáfora da vida humana.
"O livro narra uma viagem de um elefante que estava em Lisboa, e que tinha vindo da Índia, um elefante asiático que foi oferecido pelo nosso rei D. João III ao arquiduque da Áustria Maximiliano II (seu primo). Isto passa-se tudo no século XVI, em 1550, 1551, 1552. E, portanto, o elefante tem de fazer essa caminhada, desde Lisboa até Viena, e o que o livro conta é isso, é essa viagem",
Saramago começou a escrever o livro em Fevereiro de 2007, altura em que já estava bastante doente, com um problema respiratório, escreveu "umas 40 páginas" e parou, porque a doença se agravou, e acabou por ser hospitalizado durante três meses, tendo chegado a pensar que não terminaria o livro. Mas recuperou, regressou a casa em Fevereiro deste ano, embora "mal", pôs-se logo a escrever e acabou-o em Agosto, no dia 12.
Esta história é uma metáfora da vida humana: este elefante que tem de andar milhares de quilómetros para chegar de Lisboa a Viena, morreu um ano depois da chegada e, além de o terem esfolado, cortaram-lhe as patas dianteiras e com elas fizeram uns recipientes para pôr os guarda-chuvas, as bengalas, essas coisas.
Quando uma pessoa se põe a pensar no destino do elefante - que, depois de tudo aquilo, acaba de uma maneira quase humilhante, aquelas patas que o sustentaram durante milhares de quilómetros são transformadas em objectos, ainda por cima de mau gosto - no fundo, é a vida de todos nós. Nós acabamos, morremos, em circunstâncias que são diferentes umas das outras, mas no fundo tudo se resume a isso

2 comentários:

  1. obrigada!
    você me ajudou muito.

    ResponderEliminar
  2. por favor coloque um resumo da história do elefante, de José Saramago e um resumo da primeira manhã de Dalcídio Jurandir. obrigada, muito obrigada mesmo.

    ResponderEliminar