quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

1288 - Dia(s) de sol


O dia de hoje foi bem bonito e soalheiro

Acto 1 - A amendoeira gostou da mudança (para o lugar do damasqueiro que se partiu na invernia) e pela primeira vez (é o terceiro Inverno que passa) teve uma flor! vou ter UMA amêndoa! Boa!!!!

Acto 2 - Dia de sol quentinho! calor, conforto, bem estar! excelente! Adeus dias cinzentos e depressivos

Acto 3 - Na escola - Um rancho de pequenas quer entrar na sala de professores. Uma delas quer comprar bolachas na máquina da nossa sala. Proíbo-a! não que ache que esse é um lugar interdito ou que não fosse possível lá entrar para matar a fome. Foi a atitude em si... elas achavam tudo normal. Todo o espaço poderia ser delas. Não havia interditos!
Foi essa a minha intenção. Fazer-lhes perceber que não se tem todo o mundo ao alcance da mão e que tudo é possível e realizável. Cada um de nós tem de aprender os seus limites físicos e mentais sob pena de não conseguir gerir o seu espaço interior.
Apenas lhes disse que não. O acesso seria para quando crescessem e chegassem a professoras. Estudassem que alcançariam.
Gosto de perceber a escoa como lugar educativo. Há o lugar dos alunos e dos adultos. Cada um tem um papel a desempenhar. Eu posso ser muito próximo deles, mas não me posso esquecer que eu sou o educador e o adulto e logo eu que até passo as aulas a tocar-lhes e a ser afectuoso.
Há um espaço para o 1º ciclo que é deles. eles têm que perceber que crescem e poderão ter acesso ao lugar dos mais crescidos (2º e 3º Ciclo). Crescem e poderão ter acesso ao mundo dos professores

(pausa para me lembrar do espanto de uma miúda há muitos anos atrás, no início da minha carreira, em que ao ver e ouvir, numa visita de estudo, os professores a cantar e dançar, dizia que: Se não fossem tão crescidos parecia serem como nós!)

Ser educador é fazer-lhes perceber que têm que por limites à sua forma de estar. Não poder ter tudo aqui e agora, sob pena de serem uns eternos frustrados. (benditas as horas que passo a ler o João dos Santos)

Acto 4 - na escola e na sala de professores - A malta desabafa e descomprime. Fala-se de sol, de férias, do maldito Carnaval que nunca mais chega, planificam-se actividades para o dia de... descansa-se... E o sol que vem lá de fora tão quentinho... e eu reparo que há anos que partilho este espaço com muitos dos colegas e que estamos todos mais maduros e melhores como professores e pessoas! mais tolerantes, mais experientes, ... Ah sim, nos outros países já tinham havido dias de pausa para ganhar energias... pois... ainda falta uma semana e meia para o carnaval? eh...

Acto 5- Os miúdos estiverem bem e colaboraram. Que lindo foi ouvir a explicação que já não sei reproduzir, que uma das minhas alunas deu à frase: "quando um velho morre é uma biblioteca que arde"

Há dias de sol! (há horas de sorte!)

Sem comentários:

Enviar um comentário