sábado, 3 de junho de 2006

Sarajevo (versão 92)


A propósito da visita do António Manuel Ribeiro à minha Escola (foi no dia 1), a páginas tantas, falou-se do Iraque e lembrei-me de uma das suas canções que me marcaram... Andei, hoje, todo o dia com a música na cabeça. Substitua-se Sarajevo por Iraque e...







Sarajevo (versão 92)

Diz-me que este verão foi mentira
Nada disto está a acontecer
Sarajevo, um alvo nas miras
E os polícias do mundo estão a ver

Jugoslávia bonita
Filha da Europa
Fronteiras malditas
Que o ódio devora
Sarajevo, Sarajevo.

É no centro do velho continente
Que a matança das raças se consome
Esse homem de pé deve morrer
No terreiro da caça só o medo se move.

Jugoslávia bonita
Filha da Europa
Fronteiras malditas
Que o ódio devora
Sarajevo, Sarajevo.

Sarajevo não tem fim
A vergonha está isenta
Assim apodrece um país
No palco deste planeta.

Jugoslávia bonita
Filha da Europa
Fronteiras malditas
Que o ódio devora
Sarajevo, Sarajevo.

O pior dos animais anda à solta
A vingança nos olhos ancestrais
Solução final que se retoma
Hitler à mesa dos chacais.

Jugoslávia bonita
Filha da Europa
Fronteiras malditas
Que o ódio devora
Sarajevo, Sarajevo.

Sem comentários:

Enviar um comentário