sábado, 21 de novembro de 2009

Uma das minhas descobertas do Verão passado


Estava mortinha por descobrir se Chico Buarque escritor teria tanto potencial quanto Chico Buarque compositor e cantor. E não é que tem?! Não é a sua primeira obra e, talvez por isso, nota-se a segurança na forma narrativa adoptada. A perspectiva é interessantíssima. Deixo-vos a sinopse da própria editora, a "D. Quixote":

"Um homem muito velho está num leito de hospital. Membro de uma tradicional família brasileira, ele desfia, num monólogo dirigido à filha, às enfermeiras e a quem quiser ouvir, a história da sua linhagem, desde os ancestrais portugueses, passando por um barão do Império, um senador da Primeira República, até ao tetraneto, um jovem do Rio de Janeiro actual. Uma saga familiar caracterizada pela decadência social e económica, tendo como pano de fundo a história do Brasil dos últimos dois séculos."

2 comentários:

  1. Olá Teresa:

    Ouvi o Chico Buarque até à exaustão durante a minha adolescência (e ainda ouço).

    Guardo dele uma muito feliz memória pelo tipo de letras e estilo de música que os nossos não faziam(ainda).

    Para te ser absolutamente sincero tenho medo de ler algo dele por temer apagar a fabulosa imagem (imaginária e muito pessoal) que guardo dele.

    Sabes, a questão da imagem que fazemos dos outors é muito engraçada pois, por vezes (muitas vezes?)nada tem a ver com o que as pessoas são.

    Imaginámo-los assim. Pronto...

    bjs

    João

    ResponderEliminar
  2. Olá Teresa,
    Olá João,

    faz tempo que desejo ler o Chico!! mas, tal como tu, joão, tenho algum receio de destruir a boa imagem e as mil recordações que tenho das músicas do Chico.... No entanto, a Teresa não é a primeira pessoa que partilha positivamente a experiência de ler um livro do Chico e da desilusão não se instalar... Acho que vou experimentar.
    Obrigada.

    ResponderEliminar