segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

1269- Morte/vida
























Um dia ocupado a tratar do jardim.

Sinais de vida de algumas árvores a acordar do sono de Inverno
Sinais de morte do limoeiro que definitivamente se foi

Hoje tratou-se de o arrancar e de ir colocando os troncos na lareira. Gosto de saber que as cinzas dos ramos e árvores do meu jardim serão lançadas à terra de novo e servirão de adubo para as novas flores e frutos de daqui a nada despontarão

Ciclo de vida que se torna morte e que retoma a vida...

Mais pela tarde foi tempo de mudar outra árvore do sítio de modo a ter mais sol ocupando o espaço do limoeiro

"O semeador saiu a semear..."

Debulhar o trigo
Recolher cada bago do trigo
Forjar no trigo o milagre do pão
E se fartar de pão

Decepar a cana
Recolher a garapa da cana
Roubar da cana a doçura do mel
Se lambuzar de mel

Afagar a terra
Conhecer os desejos da terra
Cio da terra, a propícia estação
E fecundar o chão

Chico Buarque

Sem comentários:

Enviar um comentário