segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

1253 - Viajando

Viagem na palma da mão


Agarras-te à hora em que o tempo não passou
Mergulhas nas cores que a loucura te emprestou
E quando te vês para lá do espelho
Encontras a solidão.

Descobres o mundo de quem tem pouco a perder
E sobes às estrelas que ontem não podias ver
E perdes o medo de estar só
No meio da multidão

Tradições
Atrás de contradições
Fizeram-te abrir os olhos
Podes dizer: eu sou.


Jorge Palma


(ora aqui está uma música à qual nunca tinha dado muita atenção ao poema, até hoje...)

Sem comentários:

Enviar um comentário