quinta-feira, 25 de junho de 2009

845 - Por vezes há silêncios ...



Quinto poema do pescador


Eu não sei de oração senão perguntas
ou silêncios ou gestos ou ficar
de noite frente ao mar não de mãos juntas
mas a pescar.


Não pesco só nas águas mas nos céus
e a minha pesca é quase uma oração
porque dou graças sem saber se Deus
é sim ou não.

Manuel Alegre


(por vezes há silêncios que podem ser procura ou presença)

Sem comentários:

Enviar um comentário