domingo, 14 de junho de 2009

837 - Faz as contas ao suor
























Sim, eu sei... Já publiquei isto antes. Mas, quem disse que a vida era sempre original e que não há nada de novo debaixo do céu?



As canseiras desta vida - José Mário Branco



Letra e música: José Mário Branco
Victor Almeida
(baseado em "A mãe" de Bertold Brecht)
--------------------------------------------------------------------------------

As canseiras desta vida
tanta mãe envelhecida
a escovar
a escovar
a jaqueta carcomida
fica um farrapo a brilhar

Cozinheira que se esmera
faz a sopa de miséria
a contar
a contar
os tostões da minha féria
e a panela a protestar

Dás as voltas ao suor
fim do mês é dia 30
e a sexta é depois da quinta
sempre de mal a pior

E cada um se lamenta
que isto assim não pode ser
que esta vida não se aguenta
-o que é que se há-de fazer?

Corta a carne, corta o peixe
não há pão que o preço deixe
a poupar
a poupar
a notinha que se queixa
tão difícil de ganhar

Anda a mãe do passarinho
a acartar o pão pró ninho
a cansar
a cansar
com a lama do caminho
só se sabe lamentar

É mentira, é verdade
vai o tempo, vem a idade
a esticar
a esticar
a ilusão de liberdade
pra morrer sem acordar

É na morte ou é na vida
que está a chave escondida
do portão
do portão
deste beco sem saída
-qual será a solução?

Sem comentários:

Enviar um comentário