quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Leituras de férias IV - D. Amélia

Esta foi uma das minhas leituras de verão:
 
 
Isabel Stilwell apresenta-nos num romance histórico uma biografia de Amélia (aquela que viria a ser a última rainha de Portugal) filha de Luís Filipe conde de Paris e de Maria Isabel de Montpensier. 
 
Desde cedo, Amélia foi educada de forma muito diferente dos seus irmãos, uma educação exigente, digna de uma futura rainha. Não uma futura rainha deslumbrada com jóias e poder, mas preocupada com algo realmente importante – o povo! Neste aspecto da sua educação, o seu pai teve um papel muito importante, pois sempre a alertou para as necessidades do povo e para o poder que conseguem ter quando se juntam em prol de um objectivo.
 
Logo desde a sua infância, Amélia viu a sua família sofrer com o exílio, compreendeu as causas que lhe foram explicadas pelo seu pai, com o qual tinha uma relação muito próxima. 
 
Como todas as mulheres, sonhava casar por amor e assim acontece quando conhece Carlos (futuro rei de Portugal). Porém, muitas divergências haviam de surgir nesta vida a dois, pois Carlos fora educado de forma diferente, era cómodo e apreciava o poder e o luxo, chegando a deixar para segundo plano os problemas do reino.
Desde cedo que Amélia se apercebe que Carlos não tinha sensibilidade para detetar e entender os perigos à sua volta e a mudança dos tempos em que se vivia.

Amélia foi uma mãe extremosa, educou o filho mais velho, tal como o seu pai a educou - uma mente aberta que procurava avaliar os acontecimentos à sua volta, tendo sempre em atenção as necessidades do povo. O seu principal objectivo na educação de Luís Filipe, foi fazer com que o filho fosse um rei mais atento e interactivo do que Carlos! Porém, o destino não deixou que o seu primeiro filho reinasse…
Sem nunca esquecer de que se trata de um romance histórico e que a figura de D. Amélia é nos é apresentada como sendo quase imaculada e perfeita, vale a pena ler a obra de modo a se poder entender melhor uma fase problemática da pátria portuguesa

Sem comentários:

Enviar um comentário