quarta-feira, 26 de setembro de 2012

1532 - Chuva! (e desenganos)

Chuva 1 - Num dos meus filmes de culto, há uma frase dita de modo sublime que reza assim: "quando Deus nos quer castigar, concede-nos a realização dos nossos desejos"

Pois... tanto desejo chuva, que hoje levei uma molha (e com chapéu de chuva no carro!). Que desconsolo!

Chuva 2 - Afinal estes magos das finanças não são tão magos assim e isto ainda está pior do que nos contam

Então não é que as três coisas que exportamos mais (e que elogios ao equilíbrio da balança de transações) são:
1-  ouro (das nossas jóias da família) ; medicamentos - pois o negócio cá está fraco e não importa que alguns medicamentos até esgotem nas farmácias! ; carros que não se vendem cá e que se reexportam!

Es´ta-se mesmo a ver que os magos das finanças reorganizaram mesmo o país e que o nosso setor exportador está pujante! 

chuva 3 - Um destes dias era a diminuição brutal das dívidas das Câmaras- pois se os subsídios da função pública foram afetadas a este serviço da dívida. Julga-se que algumas Câmaras estão a gerir melhor?

Sem comentários:

Enviar um comentário