quarta-feira, 19 de setembro de 2012

1530 - A pôr a escrita em dia

1- A minha gata voltou ao "normal" - A minha "Maria José" foi uma mãe extremosa. No entanto, uma casa com 4+1 gatos era uma loucura e, felizmente, fomos arranjando gente que foi ficando com os gatinhos. Na passada semana foram entregues os últimos dois. A "Maria José" andou doida! procurou-os por toda a casa e pelo jardim. Ia lá fora e procurava-os, depois pedia para entrar e procurava-os, depois pedia...
Agora voltou ao "normal" e exige a minha companhia! ela é-lhe dada!

2 - Ufff... Há dias em que mais valia não sair de casa ou não acordar. Ontem apanhei um engarrafamento à entrada da ponte que me fez perder 40 minutos; a seguir outro devido a obras na Avenida dos EUA. Mais 20 minutos... no regresso outro acedente à saída da ponte. Já não o apanhei quando, finalmente, passei mas entretanto já se tinha avariado outro carro com o pára-arranca. Depois paguei 20 (vinte) euros para afiar uma tesoura de poda. Eu bem perguntei ao tipo, antes de começar o trabalho, quanto é que ele me ia levar... Já tinha ficado banzado, mas aceitei. Depois pede-me 20 euros pois tinha tido muito trabalho! disse-lhe que só pagava o pré-estabelecido (10 euros). A pagar verifiquei que só tinha uma nota de vinte. Argumentou comigo que não tinha troco! expliquei-lhe que era a primeira e última vez que lhe dava trabalho. Assumiu! Senti-me roubado e danado com o tipo. Não vai longe assim! a crise é para todos e não é por ter um carro à porta que tenho mais dinheiro e possibilidade de o esbanjar... Olha quem!

3 - Ter 17 anos e pouca experiência de vida - Um deste dias o meu rapaz marcou um encontro com una amigos para lhes mostrar Lisboa. O problema é que este mal conhece a forma como chegar aos sítios e falta-lhe um mínimo de sentido de orientação. Combinaram em sete rios à frente do Jardim Zoológico. A ida de carro até lá foi digna de uma antologia... Explicar-lhe onde ficam os principais locais de Lisboa e como chegar lá:
Belém - elétrico 15; onde se apanha? no terreiro do Paço! onde é que isso fica? ali, estás a ver? ahhh
Castelo de S. Jorge - lá ao fundo estás a ver? ele aponta para o palácio das necessidades... Não, olha adiante!
A casa de gelados no Chiado onde costumamos ir em família - Apanhas a linha verde e... E como mudo de linha? não passas as cancelas... ahhhh...
- Os restauradores é o quê? ... aahhhh... mas isso é perto do Rossio?    
...
Olha que a estação do metro em sete rios é...
Olha... para vires para casa, apanhas o comboio AZUL que podes apanhar em sete rios ou entrecampos... Ok, está bem
...
Bom, se precisares de alguma coisa ligas...
...
Dei-lhe o meu cartão do metro
Tudo correu bem!  lá se entendeu!

(e pensar que eu com a idade dele já tinha palmilhado 1000 vezes Lisboa e já tinha ido para Portalegre sozinho (de comboio) para jogar num campeonato de Xadrez onde estive uma semana... Nem me foram levar ao comboio!)

4 - Do resto? o melhor é ter os antidepressivos à mão. Do governo nada de bom se espera... Daqueles para os quais somos transparentes uns para outros a coisa nunca irá mudar. Se nunca mudou até aqui! É a vida! Salvam-se uns momentos fantásticos. Por duas vezes tive o privilégio de preparar as minhas tarefas junto ao rio: Baía do Seixal e junto ao Sado! Isso vale muito e ajuda a carregar baterias!



  

Sem comentários:

Enviar um comentário