quarta-feira, 22 de junho de 2011

O parente mais próximo





Inspirada pelos entusiasmos do meu amigo João, não resisto a partilhar o livro que me acompanha por estes dias. Uma narrativa bem escrita, prende-nos no meio de vários enredos. Uma fórmula que funciona e vicia...

Do mesmo autor já conhecíamos o comovente O rapaz do pijama às riscas e a responsabilidade de John Boyne era grande. Parece estar à altura, acho que o final não me vai desiludir.

Recomendo, nestes dias que se querem de muita leitura e sol!





Londres, 1936. A ascensão de Hitler assusta o velho Continente, mas é o caso amoroso do Rei Eduardo VIII que domina as conversas desde as tabernas aos círculos mais restritos da aristocracia. Enquanto o Rei pondera abdicar do trono por amor a uma mulher casada, Owen Montignac espera a herança do tio para pagar a sua enorme dívida de jogo. Quando o dinheiro é atribuído à sua prima Stella, Owen vê-se obrigado a construir um plano maquiavélico para conseguir o dinheiro, salvar a posição social e para se ver livre, de uma vez por todas, dos agiotas. No meio de uma crise política Owen mantém-se vivo através da perspicácia e da imaginação, mas é a disponibilidade para matar que vai ditar o seu futuro.

Fonte:
http://www.facebook.com/note.php?note_id=211677602185639&comments

3 comentários:

  1. Oh Jacky!

    Quem é que é de entusiasmos?

    hum...

    Bjs

    João

    ResponderEliminar
  2. "O RAPAZ DO PIJAMA ÀS RISCAS" deste mesmo autor é fabuloso; e este estará ao nível?

    ResponderEliminar
  3. Bastante diferente. No entanto seduziu-me muito pelo "suspense" e a trama está bem estruturada.

    Li-o como se vê um thriller!
    Mas no final, algo aproxima os 2 livros, o ponto a que o Homem pode chegar... Um baseado na História e o outro, será só história...?

    Recomendo (grande, mas lê-se de um fôlego!)

    Jacqueline

    ResponderEliminar