terça-feira, 24 de maio de 2011

"Uma aventura em Timor" ou de como se criam leitores



Tive hoje o grato prazer (e um enorme privilégio) de participar, no espaço por Timor no lançamento oficial do livro de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada uma Aventura em Timor.

Neste post não quero entrar na qualidade ou enredo da história que se conta (quem sou eu, até, para entrar nesse campo) mas sim na questão da criação de leitores.

Confesso que foi belo demais e que me comovi ao ver um grupo de alunos da minha Escola (EBI da Charneca de Caparica) a dialogar através de video-conferência com alunos da Escola Portuguesa de Dili. Via-se que os meninos vibravam ao perceberem que estavam em contacto com gente que falava a mesma língua e que estavam do "outro lado do mundo"

Houve ainda a possibilidade de ouvir questões colocadas por jovens dos quatro cantos do mundo que assistiam ao evento online através do site da Leya e que, deste modo, também puderam participar

Confesso que foi belo demais ver as autoras a assumirem um papel extremamente informal mostrando como se constrói um livro: a ideia de base, a escrita em comum, o surgimento das ideias, a ilustração, a forma como foi vivida a experiência de estar em Timor, o medo de voar, a beleza da ilha, ...
Para os miúdos terá sido uma experiência para a vida, ver as autoras à sua frente sendo que uma até é Ministra, a explicar-lhes como se escreve um livro, estando disponíveis para responder a todas as suas questões, usando uma linguagem comum que os faz sentir estar perante gente de carne e osso

Estou certo que são este tipo de iniciativas que criam e fidelizam leitores. Estou seguro que os miúdos chegaram a casa e releram novamente o livro!

Gostei ainda de ouvir os meninos da minha escola a dizer o poema "um minuto de silêncio" dedicando-o aos alunos da Escola Portuguesa de Dili.


UM MINUTO DE SILÊNCIO


Calai
Montes
Vales e fontes
Regatos e ribeiros
Pedras dos caminhos
E ervas do chão,
Calai

Calai
Pássaros do ar
E ondas do mar
Ventos que sopram
Nas praias que sobram
De terras de ninguém,
Calai

Calai
Canas e bambus
Árvores e "ai-rús"
Palmeiras e capim
Na verdura sem fim
Do pequeno Timor,
Calai

Calai
Calai-vos e calemo-nos
POR UM MINUTO
É tempo de silêncio
No silêncio do tempo
Ao tempo de vida
Dos que perderam a vida
Pela Pátria
Pela Nação
Pelo Povo
Pela Nossa
Libertação

Calai - um minuto de silêncio...

Francisco Borja da Costa
(1946, Manatuto, Timor Português - 7 de Dezembro de 1975, Díli, Timor-Leste) foi poeta e também o compositor de Pátria, tendo escrito a maior parte da sua obra em língua tétum. Morreu no dia 7 de dezembro de 1975, no mesmo dia da invasão de Timor-Leste pela Indonésia. Além do hino timorense, seu trabalho mais conhecido talvez seja o poema Um Minuto de Silêncio:

Sem comentários:

Enviar um comentário