domingo, 12 de dezembro de 2010

1234 - A minha playlist





A razão desta escolha é tão óbvia que nem necessita descrição. Basta ler a letra e navegar no blogue...
Um auto-retrato de que gosto e me identifico desde que a ouvi a primeira vez, no tempo em que ainda via (já não tão assiduamente como antes)o festival da Canção.

Por esta altura o grupo de amigos e as opções de futuro marcavam muito(íssimo) os meus dias e noites!


Silêncio e tanta gente

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou

2 comentários:

  1. Uma das canções mais bonitas que concorreram ao festival.
    E como Maria Guinot caiu no esquecimento... que país triste...

    Beijo, João.

    ResponderEliminar