domingo, 9 de setembro de 2007

252 - Fora de Contexto II


Como eu gosto de alguns preciosismos só nossos. Das nossas expressões idiomáticas... do "É do tempo da Maria Cachucha", das nossas "saudades", do "cú de Judas", de "fazer sala"...
Aqui vai mais uma



Do DN de 8 de Setembro de 2007
ESSA PALAVRA ARGUIDO "SO TYPICAL!"

Ferreira Fernandes

Vai haver festa em Coimbra, pátria da adolescência dos penalistas nacionais. Conseguiram! A sua especialidade, lendo os jornais estrangeiros de ontem, exportou-se. Tal como já acontecera com o queijo da serra e o pastel de Belém, a palavra "arguido" conquistou o mundo. "What is an 'arguido'?", titulava o inglês Guardian. Ao que respondia, também em título, o espanhol El Mundo: "'Arguido', figura para el sospechoso oficial em Portugal." E o francês Le Monde pediu a um jurista luso para explicar a típica palavrinha. Ele compara com "suspeito" mas alertou: "Não implica acusação exacta." E, assim, se demonstrou a paternidade portuguesíssima de "arguido". Este é uma coisa em forma de mais ou menos. Está para os touros de morte como a tourada portuguesa. Arguido é todo curvas, é uma pega de cernelha. É acusar e dizer em seguida: "Mas não leve a mal, homem." Mais português é impossível. A palavra "arguido" conquistou o mundo. Só falta convencer os juízes.

Sem comentários:

Enviar um comentário