quarta-feira, 17 de outubro de 2012

1540 - outono

Pablo Neruda - Amantes

Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,
são eternos como é a natureza.

---

Confesso que adoro as chuvadas de outono.
Confesso que a minha romanzeira me deu umas belíssimas romãs (umas 12) e que foi o tempo que levei a cuidar dela no inverno passado que a fez ser tão importante. 

O outono não traz nem o fim nem morte mas a eternidade da natureza!

1 comentário:

  1. Enorme Neruda!
    Mas hoje o meu pensamento está com o Adriano...

    Beijinho, João.

    ResponderEliminar