domingo, 16 de maio de 2010

Como libertar a escrita...

A propósito de um livro de João dos Santos que ando a ler

“ (…) Fui a férias a Londres e levei o meu neto Miguel, com quem passeei e conversei. Aproveitei para ir visitar o meu filho Luís, para falarmos - e falámos. Falámos de tudo e de nada.
Ele contou-me, a propósito de aprender a escrever: «Lembro-me daquela época do meu 4.° ano do liceu, quando eu não conseguia ter mais de 7 ou 8 de classificação, em Português. Num dia de ponto falei nisso ao pai e o pai foi a conversar comigo até ao liceu. Explicou-me que não se escrevia com a caneta e a mão, mas com as ideias e a imaginação. Que para a coisa sair certa era preciso a pessoa viver urna situação imaginária ou real e só então passa-la ao papel. No caminho, fomos fazendo exercícios escritos a falar!... «Cheguei lá e fiz o ponto que foi uma limpeza»!

Textos citados de SANTOS, J. (1983). Ensaios sobre Educação II. O falar das letras. Livros Horizonte: Lisboa.

Sem comentários:

Enviar um comentário