domingo, 24 de janeiro de 2010

Ensaio sobre a cegueira



Nestes tempos, pós terramoto no Haiti, não deixo de me lembrar do livro do José Saramago: "ensaio sobre a cegueira"
É caso para dizer que a realidade supera a ficção...

O que a mim me impressiona mais foi que, ao ler o livro, sempre achei que a ficção era bastante plausível tendo em conta os múltiplices tipos de cegueira...

O enredo conta-se em poucas palavras:
A cegueira começa num único homem, durante a sua rotina habitual. Quando está sentado no semáforo, este homem tem um ataque de cegueira, e é aí, com as pessoas que correm em seu socorro que uma cadeia sucessiva de cegueira se forma… Uma cegueira, branca, como uma mar de leite e jamais conhecida, alastra-se rapidamente em forma de epidemia. O governo decide agir, e as pessoas infectadas são colocadas de quarentena com recursos limitados e que irá desvendar aos poucos as características primitivas do ser humano. A força da epidemia não diminui com as atitudes tomadas pelo governo, e depressa o mundo se torna cego.
Todos os sentimentos/atitudes desenrolam-se na obra: poder, obediência, ganância, carinho, desejo, vergonha; dominadores, dominados, subjugadores e subjulgados.

Vale a pena ler de novo.

Agradeço à Jacky a possibilidade que me deu em conhecer a obra de Saramago

1 comentário:

  1. João,

    infelizmente esta é uma boa comparação...

    Também a mim me tem impressionado a situação de um país que parece condenado a renascer das cinzas.


    Um beijinho,

    ResponderEliminar