segunda-feira, 13 de julho de 2015

6 - (de sentido protesto) - Porque

Porque

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo mas tu não

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

                      Sophia de Mello Breyner Andresen

Sem comentários:

Enviar um comentário

1893 (da consciência de si) - António: ou esse gajo e eu

António: ou esse gajo e eu Para que estou eu aqui a faalr sobre este gajo que ninguém sabe quem foi perdeu uma batalha em Alcântara (em...