segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Leituras de férias - Gabeiela, Cravo e Canela

Esta também foi uma das minhas leituras de férias deste ano. confesso que foi um enorme prazer.
Uma das primeiras impressões que me ficou do livro é que este estava muito bem escrito e isto fez logo toda a diferença. Considero-me um bom leitor e, ao ler obras como esta, identificamosl ogo quem escreve muito bem e quem escreve medianamente. Definitivamente, Jorge Amado, pertence ao grupo daqueles que escrevem mesmo muito bem!
Há ainda a considerar o facto de um 10/15 página o autor faz o enquadramento do contexto onde se vai desenrolar a ação: ficamos ocnhecedores dos personagens principais, do seu carácter, da trama, do que está em jogo, na narrativa, e isso faz todo o sentido.
Perder-se-á afirmar que o enredo é sucesso garantido: uma cidade que oscila entre um passado que marcou e o confronto com a necessidade de uma certa modernidade e de novas respostas aos problemas. Parece fácil sim, mas quantos escritores o escreveram tão genialmente como Jorge Amado?

A Gabriela,  o seu perfume, o seu caráter, prendem o leitor do início ao fim do livro.

Foi mesmo um enorme prazer!

 
Porque fizeste sultão de mim, alegre menina

Palácio real lhe dei, um trono de pedraria
Sapato bordado a ouro, esmeraldas e rubis
Ametista para os dedos, vestidos de diamantes
Escravas para serví-la, um lugar no meu dossel
E a chamei de rainha, e a chamei de rainha

Porque fizeste sultão de mim, alegre menina

Só desejava à campina, colher as flores do mato
Só desejava um espelho de vidro prá se mirar
Só desejava do sol calor para bem viver
Só desejava o luar de prata prá repousar
Só desejava o amor dos homens prá bem amar (2x)
No baile real levei a tu, alegre menina
Vestida de realeza, com princesas conversou
Com doutores praticou, dançou a dança faceira
Bebeu o vinho mais caro, mordeu fruta estrangeira
Entrou nos braços do rei, rainha mas verdadeira

Sem comentários:

Enviar um comentário