quarta-feira, 6 de outubro de 2010

1191 - Aos amigos e aos pequenos prazeres!


Será que tudo depende dos óculos de colocamos?

a) Hoje encontrei um ex aluno do ano passado. Encontro quente a amistoso. Falou-me do desalento de eu não ser o seu professor este ano... Que emoção tive por dentro. Tantas e tantas vezes vejo é desalento e o ar de "oh... lá vem este dar-nos aulas..."
fui o mais caloroso que pude...
b) na sal de alunos vejo uma aluna e esta interroga-me sobre se é já para ir para a aula. Vê-se que a deseja... Digo-lhe que falta um niquito.
Uma colega observa a cena e comenta comigo. Diz-me que devo guardar estes momentos no coração. Comovo-me mas não mostro. Mal sabe ela como isto me fez bem
c) tenho recebido apoios inesperados e que não esperam retribuição no que se refere à minha tese. Que bom!
d) A natação está a fazer-me tão bem...
e) a visita ao museu de arte antiga, um destes dias, para ver as tapeçarias de Pastrana encheu-me as medidas
f) o passeio em família pela baixa na noite de 4 de Outubro para as comemorações foi quente. A noite estava óptima e foi bom sentir a baixa com gente e com cafés abertos. Aroma de liberdade e algo de conquista
g) hoje dei duas aulas fantásticas...

Não, não sou do rock nem do blues, nem estou nada certo de ter escolhido a estrada certa, mas tenho gente que comigo caminha (logo não posso estar tão errado assim!). Menos mal

Poderia ter sido
Outra coisa qualquer
De canudo erguido
Vocês sabem como é.

Havia planos para tal
Dentro e fora de casa
Ser um tipo formal
Nos braços da namorada.

Eu escolhi a estrada certa
Rumo ao norte, rumo ao sul.

O que vale, vale a pena
Sou do rock, sou do blues.

Tapar os olhos e os ouvidos
Ter sucesso e casar
Ser feliz no meu abrigo
E deixar a vida passar.

Mas por esse caminho
Estranho a felicidade
Que envelhece os meus amigos
E os cerca de ansiedade.

Eu escolhi a estrada certa
Rumo ao norte, rumo ao sul

O que vale, vale a pena
Sou do rock, sou do blues.

(Solo)

No começo da corrida
Nunca soube onde ia dar
Não fiz planos, nem sabia
Só canções para cantar.

Eu escolhi a estrada certa
Rumo ao norte, rumo ao sul

O que vale, vale a pena
Sou do rock, sou do blues.

Eu escolhi a estrada certa
Rumo ao norte, rumo ao sul

O que vale, vale a pena
Sou do rock, sou do blues.

António Manuel Ribeiro


3 comentários:

  1. Pequenos...grandes prazeres!
    :)

    Beijinho, João*

    ResponderEliminar
  2. Maria P:

    Faz bem à alma sim!

    Beijo

    João P.

    ResponderEliminar
  3. "Comovo-me mas não mostro."
    Porquê, João?
    Não é bom soltar as emoções?

    Um beijo.

    ResponderEliminar