sábado, 12 de novembro de 2011

1424 - Pequenos momentos que se fazem enormes

1- Na 5ª feira andei todo o dia pelo Seixal. Capto os momentos... de manhãzinha, nevoeiro, maré baixa,, uma magnífica Garça está na baía. Tive pena de não ter tido tempo para parar o carro e tirar uma foto. A ave era linda!!! 














2 - Hora de almoço - Revejo a magnífica árvore que fotografei em Outubro. 


















3 - Entardecer. regresso a casa e o momento é profundamente belo na estrada que circula a baía. Tenho pena de nenhuma foto poder captar os breves minutos do entardecer. é a luz nas janelas antigas, é o violeta no céu, é a cor de prata no mar, é a lua que desponta... absolutamente maravilhoso

4 - Na 6ª feira só me lembro, durante todo o dia do belo texto da Sohia. As palavras são belas demais para serem usadas assim por alguns...

Com Fúria e Raiva 

Com fúria e raiva acuso o demagogo
E o seu capitalismo das palavras

Pois é preciso saber que a palavra é sagrada
Que de longe muito longe um povo a trouxe
E nela pôs sua alma confiada

De longe muito longe desde o início
O homem soube de si pela palavra
E nomeou a pedra a flor a água
E tudo emergiu porque ele disse

Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
Como se fez com o trigo e com a terra

Sophia de Mello Breyner Andresen, in "O Nome das Coisas"
 

5 - Hoje, no meu jardim... Finalmente após 4 anos as laranjeiras deram frutos! estive para as arrancar, adubei-as, estive para as arrancar, pus-lhes produto para mil e uma pragas, errei, adubei, este ano tive frutos. 4 numa e 12 noutra!
Outros frutos hão-de desabrochar. é preciso ter a paciência do jardineiro noutras dimensões da vida   


Sem comentários:

Enviar um comentário