quarta-feira, 25 de agosto de 2010

1158- momento de paragem II






































































Hoje foi finalmente o dia das arrumações de papéis que há tanto estava a protelar e que ficou inacabada pois deu-me a neura...

Para além dos muitos papéis que foram fora senti que terminou um mais um ciclo sem que isso fosse por mim desejado.

Sacanices... e logo eu que procurei dar o meu melhor! Terminar porque fizemos um mau trabalho é mais que justo. Levar um pontapé no rabo por politiquices, jogos de poder e não dizer amén, yes sir! all right sir! bata mais que a gente deixa e implora é que não faz muito sentido.

O mundo está feito para carneiros e acomodados é o que é.
Tudo se há-de compor e, como costumo dizer, o melhor está para vir e alguma janela se abrirá após se ter fechado esta porta.

Partirei...


Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.

Ricardo Reis

3 comentários:

  1. Que isto dizer que vais mudar de Escola? Ou a tua é uma das que vão fechar?
    Abençoada ministra!!!!!!!!!!!!

    Um abraço, João.

    ResponderEliminar
  2. Maria:

    Não vou mudar de escola nem ela fecha, mas que fui sacaneado, lá isso fui!

    Sempre a aprender! Sempre!
    Tenho que aprender que vale tudo e como sou estúpido e ingénuo...

    Beijo

    João P.

    ResponderEliminar
  3. Fica a solidariedade de outra sacaneada, esta apanhada nas guerrinhas de fusão de escolas. À conta disso deita-se um projecto abaixo. Anda uma pessoa a trabalhar para isto!

    ResponderEliminar