quarta-feira, 14 de março de 2018

1868 (Das palavras) - António


António saíra decidido de casa naquela manhã invernosa, triste, sombria, com nuvens que tinham a aparência de vir a desabar sobre a baía. Não se importou com isso! Meteu, decidido, os pés ao caminho. Iria ter mesmo aquela conversa com a M… Aquela questão que já se arrastava, não poderia terminar assim. Que diabo! Então tantos meses de trabalho, em conjunto, em torno daquele projeto fantástico não significavam nada? Admitia ter errado aqui ou ali, mas…

João P. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

1897 (da resiliência) - Uma vez que já tudo se perdeu

Uma vez que já tudo se perdeu Que o medo não te tolha a tua mão Nenhuma ocasião vale o temor Ergue a cabeça dignamente irmão Falo-te em...