sexta-feira, 14 de novembro de 2014

381 - chove


BALADA DE FEVEREIRO
Chove nas ruas como nas veias
cida
de cheia de mágoas
e não há barcos ideias
que nos levem por sobre as águas
que tu vento despenteias.
só a chuva nos vidros
e es
te viver para dentro
há só
minutos perdidos
e as caravelas do pensamento
naufragadas nos senti
dos.
Palavras tristes de Fevereiro
se vos ves
tis de melancolia
se vos rodeiam de nevoeiro
como fa
lar da alegria?
Dai
-me um verso marinheiro.
Minha cidade embuçada
na capa do nevoeiro
minha cidade encarcerada
nas grades de Fevereiro
.
Dai-me um verso madrugada
palavras
tristes de Fevereiro.
Minha cidade calafetada
qua
ndo à porta bate o vento
há só poetas ca
ntando
este viver para dentro
e as caravelas do pensamento
naufragad
as (até quando?)
perd
idas no nevoeiro. 

Manuel Alegre

Sem comentários:

Enviar um comentário