terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Para que serve ler (I)?

“Leer sirve para batallar verbalmente, para poder proferir algo más que juicios triviales; pero leer sirve también para prorrogarse, para darse experiencias que jamás se tendrán, para contener la finitud y el miedo”.
Justo Serna

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

A promoção da leitura é possível!

É sempre bom visitar uma escola e ver algo a acontecer!
Numa altura em que se ouvem alguns professores bibliotecários a dizer que cada vez é mais difícil a articulação curricular e que ninguém está disposto a colaborar, sabe bem assistir à realização de uma atividade de parceria. Na Escola Básica de Pinhal de Frades no Seixal, o departamento de Língua Portuguesa e a Biblioteca Escolar organizam um concurso de leitura, bem à maneira da TV. Foi giro ver o entusiasmo dos meninos e foi ainda melhor ver que a articulação é bem possível. É só querer!
Destas atividades só podem sair mais e melhores leitores.

 


quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Livro dos corações (apaixonados?)

Livro dos corações com origem na Dinamarca, cerca de 1550. Consta de 85 baladas de amor e é considerado como um dos livros antigos mais estranhos de gido à sua forma de coração. Já no referente às cantigas de amor, o nosso D. Dinis já as fazia!


Libro de los Corazones. Dinamarca, c. 1550. Consta de 85 baladas de amor y es considerado como uno de los libros antiguos más extraños por su original forma de corazón.


fonte: perfil facebook Biblioteca Universidad de Huelva
 

domingo, 8 de dezembro de 2013

A promoção da leitura nas bibliotecas escolares

Nestes quase três anos que levo como coordenador interconcelhio para as bibliotecas escolares nunca me tenho esquecido de perguntar, quando visito uma biblioteca escolar, sobre como está a escola no relativo aos empréstimos domiciliários: os alunos requisitam muito ou pouco, tem aumentanto, diminuído, que ações têm sido feitas tendo em vista a promoção da leitura? ...

Confesso que, por vezes, saio desiludido de algumas bibliotecas ao percecionar que alguns professores bibliotecários baixam os braços e acham que é uma inevitabilidade que os alunos não leiam.

Discordo deste ponto de vista. Tento argumentar e dar-lhes pistas...

Foi com muito agrado que vi na BE Carlos Ribeiro em Pinhal de Frades, concelho do Seixal, que uma das minhas sugestões tinha sido acolhida e que o fundo documental mais destinado aos alunos do 2º ciclo tinha sido reorganizado e lhe dada nova arrumação e organização. Pelos vistos esta estratégia tem dado bom resultado. Viva quem tenta!