quinta-feira, 25 de novembro de 2010

1221- Ontem fiz greve

Poucas vezes na minha vida profissional estive tão certo da justeza da minha greve como esta de ontem (e como algumas outras dos anos mais recentes)

Dizem-me na televisão que é absolutamente indiferente fazer ou não e que nada se pode mudar a nível das políticas pois não há dinheiro!

Respondo-lhes que se pode sim! pode pois!
Não me venham com a conversa que o julgamento popular se faz nas eleições pois quem as perde e é julgado por governar mal ganha logo o prémio de um lugar numa qualquer fundação, empresa, banco, empresa pública de renome. Se é isto o julgamento popular...

Respondo-lhes também que me custou ouvir a ministra do trabalho dizer, pelas 20h, que não houve greve pois o país não parou!

Então, em que ficamos? não vale a pena fazer greve pois o país está falido, mas o juízo dos políticos quando "apalpam" a adesão à greve já é legítimo?

O que certas políticas querem é a resignação e o achar que tem que ser... Tem que ser uma "fava", pois os sacrifícios não são para todos! então já há empresas públicas em que não há cortes salariais? Então...

Eles têm que perceber que a gente está descontente ou ainda se riem na nossa cara! (e ainda assim já se riem)

Direito à greve pois!

Depois ainda se vem com o argumento da instabilidade. Esta crise tem rostos e responsáveis. Ora veja-se:
Cavaco Silva - 10 anos de Governo 1985-1995
Guterres - 1995-2001
Durão/Santana - 2001 - 2004
Sócrates - 2004 - 2010

Onde está a instabilidade governativa? 4 primeiros ministros em 25 anos? Não! há é políticas erradas que nos levaram a este beco sem saída!

Não faz sentido fazer greve? devo calar-me?
Não!!!
Se isto chegou onde chegou a culpa não foi só minha pois trabalhei, descontei, paguei os meus impostos, não roubei, perdi centenas de fim de semana a trabalhar, ... Paguem outros a crise!

Se ontem fiz greve? fiz!
Se ontem aproveitei para ter um dia de folga e ter um dia zen? Sim
E depois? sou eu o culpado da crise?
Não brinquem comigo!
Julgar os políticos nas eleições? que julgamento? conheço n que perderam e foram para lugares dourados!

Julguei-os ontem!
Julguei-os ontem!

Foi uma vitória de Pirro pois perdi o meu dia de salário? não, não foi! ontem não produzi para os bolsos de alguns se encherem!

Sejamos realistas, exijamos o impossível!
nunca nos darão nada se não o exigirmos
Disse!

4 comentários:

  1. Excelente texto, João!
    Subscrevo inteiramente.
    A ministra & cia. não viram a greve porque estão cegos. E não ouviram os protestos de 3 milhões de portugueses porque estão surdos. Pena não estarem mudos!!!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. João, sou do Brasil e não devo estar a dar opiniões sobre a situação de outros países, mesmo que os ame, como amo Portugal. Sou descendente de quatro avós portugueses.
    Teu texto, todavia, creio que possa comentar. Ele está recheado de argumentos totalmente válidos e coerentes. Desgovernos existem por todo o mundo. Portugal, como você bem o demonstra, tem tido uma "normalidade" política, espelhada pela estabilidade do poder. Veja a pequena troca de primeiros ministros nos últimos anos. Não sei se posso, se tenho direito, de qualquer forma me solidarizo contigo e com o povo português, tão preocupado neste instante. Parabéns pelo texto e pelo gesto.

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Olá Maria:
    É que não querem ver e tomam-nos como parvos!

    Olá Rangel:

    Claro que podes! infelizmente determinado tipo de políticos e argumentos existem em todo o lado. A questão é que nos querem assustar com o "papão" da instabilidade, querem passar culpas e querem resignação.

    Assim não me levam! SE não há dinheiro quero apenas saber como foi gasto. Quero apenas que se prestem contas!

    Olá Maria P.

    Antes fosse muito mal e que fosse apenas um desabafo...

    Obrigado a todos pela solidariedade. Faz sentir que fez mesmo sentido e valeu a pena a greve

    João P.

    ResponderEliminar