domingo, 26 de julho de 2009

873 - Leituras de férias

























Hum... Já sei, mais uma vez estou a ser muito ambicioso...

Enfim! estas são as minhas propostas para as minhas férias (algumas já vêm do ano passado :-( )

Sem ordem de espécie alguma

- Mia Couto; Terra Sonâmbula;
- Jean Samuel; Chamava-lhe Pikolo (o testemuno de um dos companheiros de primo Levi - O tal de "Se isto é um homem");
- Virgílio; Eneida;
- Cervantes; Don Quijote de la Mancha (versão em Castelhano comprada na saída a Salamanca de Junho)
- Fernão Lopes; Crónicas;
-Kafka; O processo;
- José Saramago; O ano da morte de Ricardo Reis;
- João dos Santos; Eu agora quero ir-me embora (releitura)
- Carlos Ruiz Zafón; El juego del Ángel;
- Ondjaki; os da minha Rua (sugestão da Jacky);
- Étienne Gilson; A Filosofia na idade média;
- Roberto Musil; O homem sem qualidades I e II (oferta de Aniversário)
- Juan José Millás; Los objectos nos llaman (Oferta de aniversário)
- Pierro Bayard; Como falar dos livros que não lemos? (sugestão da Jacky);
- José Rodrigues dos Santos; A vida num sopro;
- Henri Tincq; Os génios do Cristianismo;
- José Saramago; a viagem do elefante;
- Carlos Amaral Dias e João Sousa Monteiro; Eu agora já posso imaginar que faço (releitura);
- Núria Barba e Xavier Salomó; Marco Polo (Juvenil);
- José Rodrigues dos Santos; Sétimo selo;
- Paul Ricoeur; O si-mesmo como um outro;
- A idade média (juvenil)

Agradeço à Graça B a sugestão do You-tube que aqui fica tão bem... Palavras para quê? a questão é que há muitos dirigentes sabem bem que isto é pura verdade. Daí certas políticas da "treta" (Pão e Circo portanto)...

sábado, 25 de julho de 2009

871 - Confuso demais para ter título decente

É o que dá juntar num mesmo post temas que dariam para vários. Não sei se ficará bem, mas é assim que me apetece...

Coisas boas

1 - Iniciei férias logo com uma ida à baixa.

Tinha o meu pessoal à minha espera na baixa, assim logo que terminei o dia de trabalho fui ter com eles. Foi excelente andar pela rua do Carmo, Rua Garret, Rossio,...
Gostei sobre maneira de ir explicando aos miúdos o que se passou no Largo do Carmo no dia 25 (como é que eu nunca tinha ido lá com eles (?) - para ser sincero acho é que eles são de outra geração que só se movimenta de carro! Eu com 19 anos as vezes que já tinha ido à baixa sozinho ou em grupo... centenas! - para eles é sempre a primeira vez e o mesmo deslumbramento) e ver as vistas do elevador de Santa Justa!
Que bem que soube uma cerveja numa esplanada ao fim da tarde.

2 - A ida, na 5ª feira, ao Museu da Arte Antiga ver a exposição temporária.

A mulher ainda não estava de férias... aproveitei o facto de estar uns dias com os miúdos para lhes falar de pintura e do Museu de Arte Antiga. Era a sua primeira vez lá. Eles e eu adorámos. O final da manhã foi passado a ver o piso 0 e na nossa atenção centrou-se nas tentações de Sto Antão e no quadro de S. Jerónimo. Discutimos imenso as duas obras e a temática tão fora de comum (parece surrealismo) nas tentações. Foi giríssima a discussão à volta da pintura flamenga.
Almoço no restaurante do museu, no Jardim. Tarde lindíssima e sem neblina alguma
O resto da tarde foi passado no 2º piso - na exposição temporária sobre Portugal e os descobrimentos. Vale(u) a pena a ida. Ver a custódia de Belém, os painéis, os biombos Nanbam, as cartografias da época, as peças vindas de fora: Brasil, China, Japão, África... A globalização e a inculturação... Os anacronismos tão giros de ver nas pinturas... Nª Senhora a casar na... Igreja! etc, etc, etc...

3- O rapaz do pijama às riscas
Li-o num só fôlego durante um dia! É um texto curioso, apresentado uma perspectiva diferente do acontecimento. Não sei se as crianças de 9 anos podem ser tão ingénuas mas sei que só há uma raça: a raça humana em que todos têm a mesma dignidade e estão todos do mesmo lado do arame farpado, para o bem e para o mal e isso o livro trata muito bem. É essa a nossa comum condição humana.

4 - Os livros para ler
Deliciei-me por encontrar e organizar a minha literatura de verão. Isto promete

5 - os gatos
Para que tem a pachorra de me ler já deve estar confuso com a gataria!
A ver se faço a síntese...
a) Há uma gata preta
b) desde que anda por estas zonas (de caça) teve três ninhadas
b1) da primeira só sobrou um gato. O qual me divertiu imenso num fim de tarde ao vê-lo brincar numa casa em frente (em construção na altura) com o seu rabo. Caiu de umas escadas. Não tenho visto esse gato (há por aqui um post com esta cena...)
b2) da segunda ninhada sobraram duas gatas. Uma delas ronda agora o meu jardim e dela falarei a seguir. Acho que se sente segura aqui. No fim de contas, em Janeiro, ela e a irmã, pequenotas, e a mãe, no meio das geadas, abrigavam-se do frio debaixo do telheiro...
b3) a terceira ninhada foi no fim da primavera e eram os tais gatos brancos e pretos. Não os tenho visto.

d) Então uma das gatas referidas em b2 anda esfomeada. Decidiu perder o orgulho e aparece ao final da tarde no jardim. Dei-lhe restos durante duas tardes e agora comprei granulado. Lá lhe vou dando de comer com a condição de deixar que me aproxime.
Ontem, miava como que a agradecer-me e a dizer que fome que tinha
Hoje, fez um esforço enorme para quebrar as distâncias. Eu estava perto demais. Fingiu que não queria nada, afastava-se, cedia à fome e aproximava-se... Isto durou 5minutos. Afastei-me um passo e ela lá veio. Depois de comer avidamente decidiu-se a ficar (guardando as devidas distâncias) a fazer-me companhia. Lavou-se, dormitou...
Ah...
E neste entretanto, atreveu-se a entrar pela porta da cozinha e fez a sua exploração... Se a minha mulher imaginasse, dava-lhe uma coisinha má. Logo uma gata de rua...


Coisas assim, assim

1 - Esta fez-me rir, embora reconheça que fazer humor é muito difícil e há fronteiras muito ténues entre o humor e a "falta absoluta de chá"/ofensa profunda/ falta de sensibilidade.
Neste caso, gostei (e muito). Também eu: Quero dinheiro para comprar um carro novo, pá!
Ah pois quero, pá"


Coisas não e que me tiraram do sério (sinceramente)

1 - Algumas arrumações
Falta-me espaço e há coisas que mando para o sótão e depois não sei onde as meti e fazem-me falta. Mais depressa as arrumasse, mais depressa me fazem falta. Depois é um desespero. Que porra, por quê e para quê arrumar as coisas?
É uma sensação de tempo perdido!!!!
Mas que preciso de o fazer preciso

2 - Preciso de mudar de ares.Já não há pachorra para a casa e nunca mais desligo

3 - O Sócrates e este governo que nunca mais desaparece de vez

3.1. - Então "está para nascer o primeiro-ministro que tenha feito tanto pelo deficit como ele próprio?"
Tenha vergonha! Os jornais estão cheios de primeiras páginas sobre o descontrole das contas públicas e ao que parece o descalabro das contas até nem é com as medidas para combater a crise...

Leia-se o público on-line:
"Só foram gastos 125 milhões dos 980 milhões de euros disponibilizados
Governo executou apenas 13 por cento da despesa prevista no plano anticrise
24.07.2009 - 08h04
Por Sérgio Aníbal

Passados seis meses desde o seu anúncio e três meses desde a sua entrada em vigor, o plano do Governo para combater crise levou à realização de despesa de 125,1 milhões de euros, dos quais 60 milhões em investimento. O total previsto era de 980 milhões.

No total, a despesa que o Governo já realizou para combater a contracção da economia e a subida do desemprego corresponde a uma taxa de execução de 12,8 por cento. Este valor não inclui, no entanto, as medidas que provocam reduções de receita nem as despesas com financiamento comunitário.

Os números foram apresentados no último boletim de execução orçamental
"

Então se os 5, 9 ou 6,1 do deficit não foram gastos nas ajudas, onde pára o dinheiro e onde é que ele foi gasto?
Onde pára o dinheiro que eu deixei de ganhar com a minha progressão na carreira e com os entraves que me colocaram?

Haja vergonha e respeito!

sexta-feira, 24 de julho de 2009

870 - Em época de arrumações decobri isto...

Acabei à pouco dias o ano escolar e gozo os primeiros dias de férias.
Por agora, para além de outros assuntos que desenvolverei num próximo post, dedico-me furiosamente a arrumar o escritório.
Como se o facto de deitar fora milhares de folhas de papel representasse o expurgar de tanta dor acumulada...

No meio das arrumações descobri um recorte que guardei "in nilo tempore" com este poema. Fiz bem em guardá-lo...


A concha


A minha casa é concha. Como os bichos
Segreguei-a de mim com paciência:
Fechada de marés, a sonhos e a lixos,
O horto e os muros só areia e ausência.

Minha casa sou eu e os meus caprichos.
O orgulho carregado de inocência
Se às vezes dá uma varanda, vence-a
O sal que os santos esboroou nos nichos.

E telhados de vidro, e escadarias
Frágeis, cobertas de hera, oh bronze falso!
Lareira aberta pelo vento, as salas frias.

A minha casa... Mas é outra a história:
Sou eu ao vento e à chuva, aqui descalço,
Sentado numa pedra de memória.

Vitorino Nemésio

quarta-feira, 22 de julho de 2009

869 - livros e leituras



Neste primeiro dia de férias, tal como no filme do you tube, não consigo largar o livro que comecei a ler ontem à noite: "O rapaz de pijama às riscas".

Como fazer passar o gosto pelos livros e leitura aos nossos pequenos?
Como tornar este filme you tube realidade em cada vez mais miúdos?

sábado, 18 de julho de 2009

864 - Já começa a faltar pouco!



Após três semanas intensíssimas já começo a ver o "fundo ao tacho". Faltam-me dois dias para as férias e acabar duas tarefas obrigatórias. Menos mal, sobrevivi!

(claro que tenho muito mais tarefas para riscar da listagem de coisas em falta mas, algumas ficam no campo da ambição e do querer a lua, pois nunca me bastam nuvens baixas...)

Quase de férias portanto, mas o melhor será não criar muitas expectativas pois as coisas podem não ser como as idealizamos. Ler, descansar, jardinar, estar com os nossos sem stresses... fiquemos por aqui a nível de expectativas. Tudo o mais será ganho

---
Hoje foi um dia engraçadíssimo na escola. Dia de Reunião geral de professores e de despedidas para os que partem hoje de férias. Alguns pareciam os vencedores de uma guerra, pois pareciam dizer uns aos outros: Sobrevivemos, conseguimos... Apesar de tudo conseguimos!

Beijos, votos de umas boas férias, para onde vais? partes já hoje? beijos, ficas mais uns dias? vou arrumar papéis, beijos, não quero ver mais escola por agora, Boa sorte para a nova escola, vemo-nos em Setembro

Desejo-vos um bom descanso e sobretudo um tempo de qualidade.

Eu também sobrevivi! acho eu

quinta-feira, 9 de julho de 2009

857 - memória de dois dias intensos



Ontem e hoje estive em Braga, na U.M., para participar num encontro sobre Podcast. Foram dois dias muitíssimo intensos...

Aqui fica o relato:

Acordei às 4h50, para poupar uma noite de quarto, e lá fui a guiar direitinho para Braga. Desta vez onascer do Sol não foi tão espectacular como em Novembro em que a primeira claridade apareceu em Fátima e o nascer do sol foi uns bons quilómetros mais à frente. Agora, por ser verão, foi tudo muito mais rápido e cedo. A viagem perdeu uma certa magia.

Cheguei a Braga às 9h10 mesmo a tempo da sessão de abertura que começou daí a pouco.
Foi um dia duro, das 9h20 às 20h00! Apresentações, relatos, partilha, debate, boas práticas... Que falta me fez o café até meio da manhã e que desencanto por perceber que não poderia revisitar com calma alguns locais. Terminar às 20h00 não estava de todo no programa...

Só tive tempo de ir numa corrida ao Bom Jesus e desatar a tirar fotos como um desalmado e, claro, beber uma cervejinha na esplanada até ao pôr do Sol... (que pena não ter tirado o livro do carro, mas não me apeteceu levantar-me)

Deu para me perder em pensamentos... sobretudo ter a noção que o tempo passa a correr. Da última vez que tinha estado ali tinha o meu mais velho 2 ou 3 anos. Agora já está na Universidade...

Como estes não eram pensamentos que me entusiasmassem muito e porque as cores estavam fantásticas ainda fui repetir umas fotos de há anos no Sameiro. Havia por lá uns azulejos fantásticos.


Tempo de jantar e de ir ao quarto. Depois relembrar o centro histórico e tomar um cafezinho na Brasileira. Braga está LINDA! O centro sem carros, animação nocturna com noite de fados numa noite de verão...

Hoje tive que acordar cedinho pois as sessões começavam às 9h00. Nem dei pelo cansaço nem pelo sono nos dois workshops sobre podcast e cujo produto publiquei no post anterior. Afinal não são precisos recursos técnicos quase nenhuns. Com um microfone baratinho já se faz a festa... Tudo acabou pelas 13h.

O almoço foi na companhia da Regina - Amiga de há uns anos que conheci nestas andanças e que mora por lá.
Obrigado Regina! os dois dedos de conversa e o "conbibio" fazer valer a pena tantos desencantos.

Como a intensidade do sol não dava para grandes fotos e porque não me apeteciam nostalgias, dei um pulinho a Guimarães antes de vir para baixo


Que bonita que está Guimarães
Que bem me soube aquele quarto de hora na esplanada a beber uma cola bem fresquinha!

(Pausa para referir que a lgumas das fotos bem podiam dar uma das cenas de Verão da Maria P.

Felizmente que a tarde nem esteve quente pelo que a condução para casa nem foi muito cansativa nem desidratante...

856 - O meu primeiro podcast

Estou mesmo satisfeito!

Em uma hora e meia fiz o meu primeiro podcast!

Nada mau para teste! (digo eu que sou vaidoso)





E entretanto, no outro workshop (sobre vodcast) fiz também umas brincadeiras com narração... (mas aqui não aprendi muito)

segunda-feira, 6 de julho de 2009

854 - ler ajuda a crescer - receita






















Ler ajuda a crescer de várias maneiras

Ingredientes:

cérebro q.b. (mesmo em mau estado e fora de prazo)

Livros grandes, médios ou pequenos, revistas, legendas, sms, email, rótulos, imagens, palavras.

1 pitada de tempo

1 sofá (opcional)

Modo de proceder:
Junte tudo lentamente, a quente ou a frio, na temperatura mais desejada. O resultado é sempre, em cada dose, agradável e singular.

Repita até aguentar

Ideia original: Centro de Recursos Poeta José Fanha

sábado, 4 de julho de 2009

852- Viagens com livros




Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim sem compromisso,
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça
na imaginação!

"Clarisse Pacheco"

(foto tirada em inícios de Junho por altura da última manifestação de professores a que não pude estar presente... Afinal havia bons motivos - Não digo melhores mas talvez inadiáveis para a falta )

sexta-feira, 3 de julho de 2009

851 - A eterna novidade das coisas
























A felicidade

Aquele que abraça uma mulher é Adão. A mulher é Eva.
Tudo acontece pela primeira vez.
Vi uma coisa branca no céu. Dizem-me que é a lua, mas que posso eu fazer com
uma palavra e uma mitologia.
As árvores metem-me um pouco de medo. São tão belas.
Os tranquilos animais aproximam-se para que eu lhes diga o seu nome.
Os livros da biblioteca não têm letras. Quando os abro irrompem.
Ao folhear o atlas projecto a forma de Samatra.
Aquele que acende um fósforo no escuro está a inventar o fogo.
No espelho há um outro que espreita.
Aquele que olha o mar vê Inglaterra.
Aquele que profere um verso de Liliencron já entrou na batalha.
Sonhei Cartago e as legiões que devastaram Cartago.
Sonhei a espada e a balança.
Louvado seja o amor em que não há possuidor nem possuída, mas em que ambos
se entregam.
Louvado seja o pesadelo, que nos revela que podemos criar o inferno.
Aquele que desce um rio desce o Ganges.
Aquele que contempla uma ampulheta vê a dissolução de um império.
Aquele que brinca com um punhal pressagia a morte de César.
Aquele que dorme é todos os homens.
No deserto vi a jovem Esfinge, que acabam de construir.
Não há nada tão antigo sob o sol.
Tudo acontece pela primeira vez, mas de maneira eterna.
Aquele que lê as minhas palavras está a inventá las.

Jorge Luís Borges,

quinta-feira, 2 de julho de 2009

850 - Sobretudo gosto do ar da tradutora

Claro que poderia pegar neste assunto por aspectos mais sérios e duros. Haveria muitíssimo a dizer e a discorrer sobre o gesto e o estado de alma deste governo...

Mas do gesto tuarino do Sr. Ministro da Economia, Manuel Pinho, hoje no parlamento, apetece-me destacar o ar absolutamente pasmado da tradutora que se pode ver no vídeo!



quarta-feira, 1 de julho de 2009

849 - Sem tempo para respirar

Sim, eu sei... Parece uma fixação esta mania de falar dos professores e daquilo que eles passam. Ate´pode ser contraproducente.

O facto é que, a maioria das pessoas pensa que os professores tal como os alunos têm 3 meses de férias o que é rotundamente falso.

Por estes dias nem tenho tempo de respirar e nem vejo forma de conseguir fazer tudo o que tenho em mãos:

- Conselho Pedagógico
- Reuniões de departamento
- Avaliação de professores
- Minha própria auto-avaliação
- Relatórios
- Planificações
- Balanço do ano lectivo
- propostas para o próximo ano lectivo

E depois falam em boa vida...

Confesso que já só penso em férias e esquecer tudo isto por uns tempos!